Técnicas para as WCAG 2.0

Ir para o conteúdo (Pressione a tecla Enter)

-

G73: Fornecer uma descrição extensa noutra localização com um link para a mesma junto ao conteúdo não textual

Aplicabilidade

Aplica-se a todas as tecnologias.

Esta técnica está relacionada com:

Descrição

O objectivo desta técnica é fornecer uma forma de aceder, através de um link, a descrições extensas remotas em tecnologias que não disponham de uma funcionalidade de descrições extensas integrada (por ex., longdesc), ou onde essa funcionalidade não seja suportada.

Com esta técnica, a descrição extensa é fornecida numa localização diferente do conteúdo não textual. Este pode estar noutra localização no mesmo URI ou noutro URI. É fornecido um link para essa descrição extensa junto ao conteúdo não textual. O link pode estar imediatamente antes ou depois do conteúdo não textual. Se a descrição estiver juntamente com outro texto, coloque "Fim da descrição" no fim para o utilizador saber quando deve parar de ler e regressar ao conteúdo principal. Se um botão "Retroceder" não encaminhar a pessoa para a sua localização original, será fornecido um link para voltar à localização do conteúdo não textual.

Esta técnica era geralmente utilizada em HTML antes de "longdesc" ter sido adicionado à especificação. Em HTML, chamava-se D-Link, porque era normalmente implementada colocando um D junto às imagens e utilizando o D como um link para a descrição extensa. Esta técnica não é específica da tecnologia e pode ser utilizada em qualquer tecnologia que suporte links.

Exemplos

Exemplo 1: Gráfico de barras

Um gráfico de barras numa página Web mostra as vendas dos três melhores vendedores.

A alternativa em texto abreviado indica: "Gráfico de vendas de Outubro para os três melhores vendedores."

Imediatamente a seguir ao conteúdo não textual encontra-se uma pequena imagem apresentando uma descrição extensa. O texto alternativo para a imagem é "Descrição extensa do gráfico". A imagem tem um link para a parte inferior da página, onde existe uma secção intitulada "Descrição de gráficos nesta página". O link aponta para esta descrição específica: "As vendas de Outubro mostram que a Mary lidera com 400 unidades. Logo a seguir vem o Mike com 389. O Chris completa o nosso top 3 com 350 unidades vendidas. [fim da descrição]"

Exemplo 2: Gráfico de barras - numa tecnologia não HTML, em que a funcionalidade "retroceder" do agente de utilizador não é suportada por motivos de segurança.

Um gráfico de barras numa página Web mostra as vendas dos três melhores vendedores.

A alternativa em texto abreviado indica: "Gráfico de vendas de Outubro para os três melhores vendedores."

Imediatamente a seguir ao conteúdo não textual encontra-se uma pequena imagem apresentando a descrição extensa. O texto alternativo para a imagem é "Descrição extensa do gráfico". A imagem tem um link para outra página intitulada "Descrição de gráficos no Relatório de Vendas de Outubro". O link da descrição aponta para esta descrição específica: "As vendas de Outubro mostram que a Mary lidera com 400 unidades. Logo a seguir vem o Mike com 389. O Chris completa o nosso top 3 com 350 unidades vendidas. Fim da descrição. <link> Retroceder ao Gráfico de Vendas </link> ]"

Exemplo 3: Legenda utilizada como link

Um gráfico. A legenda da figura imediatamente a seguir ao gráfico funciona como um link para a descrição extensa. O atributo Title do link torna claro que se trata de um link para uma descrição extensa.

Exemplo 4: Transcrição de um ficheiro composto por apenas áudio

Uma gravação de um discurso do Martin Luther King. Os links para o ficheiro de áudio e para a transcrição aparecem lado a lado.

Recursos

Os recursos são indicados apenas a título informativo, não implica que tenham sido aprovados.

Testes

Procedimento

  1. Verifique se existe um link imediatamente antes ou depois do conteúdo não textual.

  2. Verifique se existe um link válido que aponte directamente para a descrição extensa deste conteúdo não textual específico.

  3. Verifique se a descrição extensa transmite a mesma informação do conteúdo não textual.

  4. Verifique se existe um link ou uma função de retrocesso disponíveis para encaminhar o utilizador para a localização original do conteúdo não textual.

Resultados Esperados

Todos os passos acima são verdadeiros.