Noções sobre as WCAG 2.0

Ir para o conteúdo (Pressione a tecla Enter)

Redimensionar Texto:
Noções sobre o CS 1.4.4

1.4.4 Redimensionar texto: Excepto para legendas e imagens de texto, o texto pode ser redimensionado sem tecnologia de apoio até 200% sem perder conteúdo ou funcionalidade. (Nível AA)

Finalidade deste Critério de Sucesso

A finalidade deste Critério de Sucesso é garantir que o texto apresentado visualmente, incluindo os controlos baseados no texto (caracteres de texto que tenham sido apresentados para que possam ser visualizados [em oposição a caracteres de texto que ainda se encontrem em formato de dados, tais como ASCII]) possa ser ajustado com êxito, para ser lido directamente por pessoas com incapacidades visuais pouco graves, sem ser necessário utilizar tecnologias de apoio, tais como um ampliador de ecrã. O ajuste de todo o conteúdo da página Web poderá beneficiar os utilizadores, contudo o texto é mais importante.

O ajuste do conteúdo é, em primeiro lugar, uma responsabilidade do agente de utilizador. Os agentes de utilizador que cumprem o Ponto de Verificação 4.1 das UAAG 1.0 permitem aos utilizadores configurar o tamanho do texto. A responsabilidade do autor é criar conteúdos da Web que não impeçam o agente de utilizador de ajustar o conteúdo de modo eficaz. Os autores podem cumprir este Critério de Sucesso verificando se o conteúdo não interfere com o suporte dos agentes de utilizador em matéria de redimensionamento de texto, incluindo os controlos baseados no texto, ou fornecendo suporte directo para redimensionar texto ou alterar a disposição do mesmo. Um exemplo de suporte directo pode ser através de scripts do lado do servidor que possam ser utilizados para atribuir folhas de estilo diferentes.

No caso de conteúdos HTML, o autor não pode assentar o seu desenvolvimento no agente de utilizador para satisfazer este Critério de Sucesso uma vez que os utilizadores podem não ter acesso a um agente de utilizador com suporte de zoom (ampliar/reduzir). Por exemplo, se trabalharem num ambiente que requer a utilização de IE 6 ou Firefox.

Se o autor estiver a utilizar uma tecnologia cujos agentes de utilizador não forneçam suporte de ampliação, o autor é responsável por fornecer este tipo de funcionalidade directamente, ou fornecer conteúdo que funcione com o tipo de funcionalidade disponibilizada pelo agente de utilizador. Se o agente de utilizador não fornecer a funcionalidade de zoom (ampliar/reduzir), mas permitir que o utilizador altere o tamanho do texto, o autor é responsável por garantir que o conteúdo permanece utilizável quando o texto for redimensionado.

Alguns componentes da interface de utilizador que funcionam como uma etiqueta e requerem activação por parte do utilizador para aceder ao conteúdo não são grandes o suficiente para incluir o conteúdo da etiqueta. Por exemplo, em aplicações de correio na Web, a coluna do assunto pode não ser suficientemente grande para incluir todos os possíveis títulos do assunto, mas activar o título do assunto permite ao utilizador aceder à mensagem completa com o título completo do assunto. Em folhas de cálculo baseadas na Web, o conteúdo da célula que é demasiado longo para ser visualizado numa coluna pode ser truncado e o conteúdo total da célula fica disponível ao utilizador quando a célula receber o foco. O conteúdo de um componente da interface de utilizador pode também tornar-se demasiado grande em interfaces de utilizador em que o utilizador pode redimensionar a largura da coluna. Neste tipo de componente da interface de utilizador não é necessária a moldagem da linha; a truncagem é aceitável se o conteúdo total do componente estiver disponível no foco ou após a activação do utilizador, e é fornecida ao utilizador uma indicação de que esta informação pode ser acedida, para além do facto de que se encontra truncada.

O conteúdo cumpre o Critério de Sucesso se for possível aumentá-lo para 200%, ou seja, até duas vezes a largura e altura. Os autores podem suportar o ajuste para além desse limite, contudo, à medida que o ajuste aumenta, as disposições adaptáveis podem provocar problemas de utilização. Por exemplo, as palavras podem ser demasiado extensas para caberem no espaço horizontal disponível, fazendo com que fiquem truncadas; as limitações da disposição podem fazer com que o texto se sobreponha a outro conteúdo quando é aumentado; ou pode caber apenas uma palavra de uma frase em cada linha, fazendo com que a frase seja apresentada numa coluna vertical de texto difícil de ler.

O grupo de trabalho considera que 200% é um ajuste razoável que pode suportar uma vasta gama de designs e disposições e serve de complemento aos ampliadores de ecrã mais antigos que fornecem uma ampliação mínima de 200%. Acima de 200%, o zoom (ampliar/reduzir) (que redimensiona texto, imagens e áreas de disposição e cria uma tela maior que pode necessitar de deslocamento horizontal e vertical) pode ser mais eficaz do que o redimensionamento do texto. A tecnologia de apoio dedicada ao suporte de zoom (ampliar/reduzir) seria normalmente utilizada nesta situação, permitindo uma melhor acessibilidade do que as tentativas feitas pelo autor de suportar o utilizador directamente.

Nota: Não é possível ajustar as imagens de texto tão bem como o próprio texto, pois têm tendência a ficar pixelizadas e, como tal, sugerimos a utilização de texto sempre que possível. É também mais difícil alterar o contraste e as combinações de cores no primeiro plano e no plano de fundo para imagens de texto, que são necessários para alguns utilizadores.

Consulte também as Noções sobre o Critério de Sucesso 1.4.8 Apresentação Visual.

Benefícios Específicos do Critério de Sucesso 1.4.4

  • Este Critério de Sucesso ajuda as pessoas com baixa visão, permitindo-lhes aumentar o tamanho do texto em conteúdos para que o possam ler.

Exemplos do Critério de Sucesso 1.4.4

  • Um utilizador com deficiência da visão aumenta o tamanho do texto numa página Web num browser de 1 'em' para 1,2 'em'. Se, por um lado, o utilizador não consegue ler o texto com um tamanho mais pequeno, por outro, já será capaz de ler o texto ampliado. Toda a informação na página continua a ser apresentada quando for utilizado um tipo de letra maior no texto.

  • Uma página Web contém um controlo para alterar o ajuste da página. Ao seleccionar as diferentes definições, altera-se a disposição da página de modo a utilizar-se o melhor design para esse ajuste

  • Um utilizador utiliza a função de zoom (ampliar/reduzir) no seu agente de utilizador para alterar o ajuste do conteúdo. Todo o conteúdo será ajustado uniformemente e, se necessário, o agente de utilizador fornecerá barras de deslocamento

Técnicas e Falhas para o Critério de Sucesso 1.4.4 - Redimensionar texto

Cada item numerado nesta secção representa uma técnica ou combinação de técnicas que o Grupo de Trabalho das WCAG considera serem de tipo suficiente para cumprir este Critério de Sucesso. As técnicas indicadas só cumprem o Critério de Sucesso se todos os requisitos de conformidade das WCAG 2.0 forem cumpridos.

Técnicas Adicionais (de tipo aconselhada) para o 1.4.4

Embora não sejam necessárias para conformidade, as seguintes técnicas adicionais devem ser consideradas de forma a tornar o conteúdo mais acessível. Nem todas as técnicas podem ser utilizadas ou são eficazes em todas as situações.

Termos-Chave

tecnologia de apoio (tal como é utilizado neste documento)

hardware e/ou software que funcionam como um agente de utilizador, ou juntamente com um agente de utilizador convencional, de modo a fornecer a funcionalidade para cumprir os requisitos de utilizadores com incapacidades, para além dos oferecidos pelos agentes de utilizador convencionais

Nota 1: a funcionalidade fornecida pela tecnologia de apoio inclui apresentações alternativas (por ex., síntese de fala ou conteúdo ampliado), métodos de entrada alternativos (por ex., voz), mecanismos de orientação ou navegação adicionais e transformações de conteúdo (por ex., para tornar as tabelas mais acessíveis).

Nota 2: As tecnologias de apoio comunicam, muitas vezes, dados e mensagens a agentes de utilizador convencionais através da utilização e monitorização de APIs.

Nota 3: A diferença entre agentes de utilizador convencionais e tecnologias de apoio não é absoluta. Muitos agentes de utilizador convencionais fornecem algumas funcionalidades para ajudar pessoas com incapacidades. A principal diferença é que os agentes de utilizador convencionais visam um público mais vasto e diverso que, normalmente, inclui pessoas com e sem incapacidades. As tecnologias de apoio visam um grupo de utilizadores mais restrito, com incapacidades específicas. O apoio fornecido por uma tecnologia de apoio é mais específico e adequado às necessidades do seu público-alvo. O agente de utilizador convencional pode fornecer uma funcionalidade importante às tecnologias de apoio, tal como a aquisição de conteúdo da Web a partir de objectos do programa ou análise da marcação/código em conjuntos identificáveis.

Exemplo: As tecnologias de apoio que são importantes, no contexto deste documento, incluem o seguinte:

  • ampliadores de ecrã, e outros auxiliares de leitura, que são utilizados por pessoas com incapacidades visuais, de percepção e físicas, de forma a poderem alterar a cor, o espaçamento, o tamanho e o tipo de letra do texto, a sincronização com a fala, etc., para melhorar a legibilidade do texto e imagens apresentados;

  • leitores de ecrã, que são utilizados por pessoas cegas para lerem informação textual através de síntese de fala ou braille;

  • software de texto para fala (sintetizador de fala), que é utilizado por algumas pessoas com incapacidades cognitivas, de linguagem e de aprendizagem para converterem texto em fala sintetizada;

  • software de reconhecimento de voz, que pode ser utilizado por pessoas com algumas incapacidades físicas;

  • teclados alternativos, que são utilizados por pessoas com determinadas incapacidades físicas para simular o teclado (incluindo teclados alternativos que utilizam ponteiros de cabeça, manípulos simples, dispositivos de sopro/sucção e outros dispositivos de entrada especiais.);

  • dispositivos apontadores alternativos, que são utilizados por pessoas com determinadas incapacidades físicas para simular activações do botão e do ponteiro do rato.

legendas

imagens sincronizadas e/ou alternativa em texto para informação de áudio, com ou sem fala, necessárias para compreender o conteúdo multimédia

Nota 1: Estas legendas são semelhantes às legendas só de diálogo, à excepção de que transmitem não só o conteúdo do diálogo falado, como também equivalentes à informação de áudio sem diálogo, necessários para compreender o conteúdo do programa, incluindo efeitos sonoros, música, risos, localização e identificação do interlocutor.

Nota 2: As Legendas Ocultas são equivalentes que podem ser activados e desactivados com alguns leitores multimédia.

Nota 3: As Legendas Abertas são legendas que não podem ser desactivadas. Por exemplo, se as legendas forem imagens de texto equivalentes à parte visual, incorporadas no vídeo.

Nota 4: As legendas não devem ocultar nem obstruir informações relevantes do vídeo.

Nota 5: Em alguns países, as legendas de diálogo e de áudio e as legendas só de diálogo designam-se ambas por "legendas".

Nota 6: As áudio-descrições podem ser legendadas, mas não obrigatoriamente, uma vez que são descrições de informações que já se encontram presentes visualmente.

imagem de texto

texto que foi convertido num formato não textual (por ex., uma imagem) para se obter um determinado efeito visual

Nota: Isto não inclui texto pertencente a uma imagem que contenha outro conteúdo visual importante.

Exemplo: O nome de uma pessoa num cartão de identificação em fotografia.

texto

sequência de caracteres que podem ser determinados de forma programática, em que a sequência exprime algo em idioma humano