Noções sobre as WCAG 2.0

Ir para o conteúdo (Pressione a tecla Enter)

Ignorar Blocos:
Noções sobre o CS 2.4.1

2.4.1 Ignorar Blocos: Está disponível um mecanismo para ignorar blocos de conteúdo que são repetidos em várias páginas Web. (Nível A)

A finalidade deste Critério de Sucesso é permitir que as pessoas que navegam de forma sequencial no conteúdo tenham um acesso mais directo ao conteúdo principal da página Web. As páginas Web e aplicações têm frequentemente conteúdos que surgem em outras páginas ou ecrãs. Os exemplos de blocos de conteúdos repetidos incluem, mas não se limitam a, links de navegação, gráficos de cabeçalho e frames de publicidade. Para efeitos desta norma, as secções pequenas e repetidas, tais como palavras individuais, frases ou links únicos, não são consideradas blocos.

Isto surge em oposição à capacidade que os utilizadores sem problemas de visão têm de ignorar o material repetido, focando-se no centro do ecrã (onde normalmente se encontra o conteúdo principal), ou à capacidade que os utilizadores de rato têm de seleccionar um link com um simples clique no rato, em vez de encontrarem todos os links ou controlos de formulário que precedem o item que pretendem.

A finalidade deste Critério de Sucesso não é exigir que os autores forneçam métodos que sejam redundantes com a funcionalidade fornecida pelo agente de utilizador. A maioria dos browsers da Web fornece atalhos de teclado para deslocar o foco do utilizador para o topo da página. Assim, se for fornecido um conjunto de links de navegação na parte inferior da página Web, será desnecessário fornecer um link para "ignorar" a navegação.

Nota 1: Embora este Critério de Sucesso aborde blocos de conteúdo repetidos em várias páginas, recomendamos também a marcação estrutural em páginas individuais, tal como é descrito no Critério de Sucesso 1.3.1.

Nota 2:

  • Quando este Critério de Sucesso não é cumprido, as pessoas com algumas incapacidades podem ter dificuldade em aceder rápida e facilmente ao conteúdo principal de uma página Web.

  • Os utilizadores de leitores de ecrã que visitam várias páginas no mesmo sítio da Web podem evitar ter de ouvir todos os gráficos de cabeçalho e ter dezenas de links de navegação em cada página, antes de o conteúdo principal ser falado.

  • As pessoas que utilizam apenas o teclado ou uma interface de teclado podem aceder ao conteúdo com menos batimentos de tecla. Caso contrário, poderão ser necessários imensos batimentos de tecla antes de acederem a um link na área do conteúdo principal. Isto pode levar algum tempo e causar dor física intensa para alguns utilizadores.

  • As pessoas que utilizam ampliadores de ecrã não têm de procurar nos mesmos cabeçalhos ou em outros blocos de informação para saber onde começa o conteúdo cada vez que entram numa nova página.

  • As pessoas com limitações cognitivas e as que utilizam leitores de ecrã podem beneficiar quando os links se encontram agrupados em listas.

  • A página inicial de uma agência de informação contém uma notícia principal a meio da página, rodeada por muitos blocos e barras laterais destinados a publicidade, procura e outros serviços. Existe um link no topo da página para aceder à notícia principal. Se não utilizar este link, o utilizador de teclado tem de utilizar a tecla de tabulação para percorrer cerca de 40 links para aceder à notícia principal; o leitor de ecrã tem de ouvir 200 palavras; e o utilizador de ampliador de ecrã tem de procurar a localização do corpo principal.

Os recursos são indicados apenas a título informativo, não implica que tenham sido aprovados.

Cada item numerado nesta secção representa uma técnica ou combinação de técnicas que o Grupo de Trabalho das WCAG considera serem de tipo suficiente para cumprir este Critério de Sucesso. As técnicas indicadas só cumprem o Critério de Sucesso se todos os requisitos de conformidade das WCAG 2.0 forem cumpridos.

Embora não sejam necessárias para conformidade, as seguintes técnicas adicionais devem ser consideradas de forma a tornar o conteúdo mais acessível. Nem todas as técnicas podem ser utilizadas ou são eficazes em todas as situações.

  • Fornecer acesso por teclado a links importantes e controlos de formulário (futuro link)

  • Fornecer links para melhorar a navegação na página (futuro link)

  • Fornecer teclas de acesso (futuro link)

  • Utilizar tecnologias suportadas por acessibilidade que permitam a navegação estruturada por agentes de utilizador e tecnologias de apoio (futuro link)

  • C6: Colocar conteúdo baseado em marcação estrutural (CSS)

Em seguida, são apresentados os erros comuns considerados como falhas do Critério de Sucesso 2.4.1 pelo Grupo de Trabalho das WCAG .

(Actualmente, não existem falhas documentadas)

mecanismo

processo ou técnica para se alcançar um resultado

Nota 1: O mecanismo pode ser explicitamente apresentado no conteúdo, ou podemos contar que (depender) o mesmo seja fornecido pela plataforma ou pelos agentes de utilizador, incluindo tecnologias de apoio.

Nota 2: O mecanismo deve cumprir todos os critérios de sucesso para o nível de conformidade em questão.

página Web

um recurso não incorporado a partir de um único URI utilizando HTTP mais quaisquer outros recursos que sejam utilizados na apresentação ou destinados a serem apresentados em conjunto por um agente de utilizador

Nota 1: Embora quaisquer "outros recursos" possam ser apresentados em conjunto com o recurso principal, não seriam necessariamente apresentados em simultâneo.

Nota 2: Para efeitos de conformidade com estas directrizes, um recurso tem de ser "não incorporado" no âmbito da conformidade, de forma a ser considerado uma página Web.

Exemplo 1: Um recurso Web que inclui todas as imagens e multimédia incorporadas.

Exemplo 2: Um programa Web de correio electrónico construído utilizando Asynchronous JavaScript e XML (AJAX). O programa está totalmente alojado em http://example.com/mail, mas inclui uma caixa de entrada, uma área de contactos e um calendário. São fornecidos links ou botões que permitem visualizar a caixa de entrada, os contactos ou o calendário, mas que não alteram o URI da página totalmente.

Exemplo 3: Um portal personalizável, em que os utilizadores podem escolher o conteúdo a visualizar a partir de um conjunto de diferentes módulos de conteúdos.

Exemplo 4: Ao entrar em "http://shopping.example.com/" no seu browser, está a entrar num ambiente de compras interactivo semelhante a um cinema, em que se pode deslocar visualmente numa loja, arrastar produtos das prateleiras ao seu redor e colocá-los num carrinho de compras que surge à sua frente. Ao clicar num produto, este é apresentado com uma folha de especificações ao lado. Isto poderá ser um sítio da Web com apenas uma página, ou apenas uma única página dentro de um sítio da Web.