Pasta Actual:
Publicações e Legislação

acesso > Publicações e Legislação sobre Acessibilidade > PNP_CNE_SI > Prioridades de Actuação - Cooperação com Empresas

Prioridade 8 - Cooperação com Empresas

A terceira geração de telemóveis e a Televisão Digital Terrestre surgirão muito em breve, oferecendo novas oportunidades de acesso à informação e à comunicação, imprescindíveis às pessoas com necessidades especiais. No lançamento dos concursos para atribuição das licenças, foram valorizadas propostas e assumidos compromissos para com os Cidadãos com Necessidades Especiais. A implementação desses projectos deve ser acompanhada e apoiada pelo Governo e por uma estrutura que agregue especialistas e representantes das organizações de Cidadãos com Necessidades Especiais.

Por outro lado, é importante que os operadores de telecomunicações e de Internet estejam mais conscientes das necessidades destas populações, que vão desde de um adequado atendimento, passando pela definição de preços mais económicos, até ao estabelecimento de serviços específicos, em correcta articulação entre os vários operadores. Neste último campo, o da articulação, tem principal relevância o que diz respeito à telefonia de texto e aos serviços de intermediação telefónica para pessoas surdas e com deficiência da fala. Este diálogo poderá ser promovido de acordo com a estratégia acima referida.

A responsabilidade social das empresas é algo que o Estado incentiva, nomeadamente através da lei do mecenato e da possibilidade de efectuar abatimentos em sede de IRC. Para além dos incentivos fiscais, as empresas que demonstrem, perante os seus clientes, o seu carácter social, conseguem também ir ao encontro de um maior número de clientes. Não contam apenas com a fidelidade de um potencial grupo de Cidadãos com Necessidades Especiais - tecnicamente provado ser menos volátil a mudar de marcas ou empresas -, e que se estima que em Portugal seja de 1 milhão de pessoas, mas também dos seus familiares e amigos, o que geralmente significa multiplicar aquele número por três.

Por outro lado, o empenho do mundo empresarial neste sector representa, não raras vezes, a diferença de existir ou não determinada aplicação para suprir determinado número de necessidades. Por vezes, as vantagens comparativas dos seus sectores de actividade fazem, com um pequeno esforço, estender as suas aplicações ao sector das ajudas técnicas. Refira-se por exemplo, os sintetizadores de fala usados pela indústria das telecomunicações.

Tabela 9. Cooperação com Empresas - Acções Propostas
Acções Descrição Ano Conclusão Entidades Responsáveis
Acção 8.1 Compromissos Operadores Comunicações Móveis Incentivar, apoiar e acompanhar a implementação dos compromissos assumidos pelos operadores das redes de comunicações móveis de 3a geração relativamente a CNE. Contínuo

UMIC
ANACOM

Acção 8.2
Fórum Permanente de Telecomunicações e Internet
Apoiar a criação de um Fórum Permanente de Telecomunicações e Internet que possa servir de órgão de consulta para as preocupações dos CNE. 2004

UMIC
ANACOM

Acção 8.3
Mecenato para a Sociedade da Informação
Incentivar o mecenato para a Sociedade da Informação dirigido a CNE. Contínuo

UMIC
ANACOM

Incentivar as empresas de TIC a criarem um programa de apoio ao desenvolvimento de soluções p/ CNE. Contínuo

UMIC
ANACOM

Acção 8.4
Sintetizadores de Fala
Incentivar as principais empresas de telecomunicações e de informática a patrocinar a introdução de sintetizadores de fala em português. Contínuo

UMIC

Acção 8.5
Manuais Escolares
Sensibilizar as editoras de manuais escolares para a necessidade da disponibilização dos seus conteúdos em formatos acessíveis. Contínuo UMIC
Min. Educação
Acção 8.6
Material Informático
Incentivar, nomeadamente através de benefícios fiscais, as empresas a doarem material informático usado para CNE e suas organizações. Contínuo UMIC
Acção 8.7
Aplicações Cidadãos com Necessidades Especiais
Promover a criação de uma Linha de Incentivo ao Desenvolvimento de Aplicações para CNE. Contínuo UMIC
GT UMTS
Acção 8.8
Documentação em Formato Acessível
Disponibilização de documentação de gestão dos operadores e fornecedores de equipamentos de comunicações móveis, em formato electrónico, Braille, ampliado e por voz, à população com necessidades especiais. 2005 UMIC
GT UMTS
Acção 8.9
Georeferenciação
Prestar serviços de localização que ajudem cidadãos com dificuldades de orientação e dificências visuais, bem como as suas famílias, a saber onde estão, permitindo ao centro de apoio dar-lhes orientação para chegar ao seu destino. 2005 UMIC
GT UMTS
8.10
Ofertas Especiais
Oferecer condições particulares de acesso e subsidiação de equipamentos e tarifas aos CNE. 2005 UMIC
GT UMTS
8.11
Serviço de Apoio
Auxiliar os CNE a aceder e utilizar os serviços de telcomunicações móveis para eles orientados, fornecendo informação acessível através de diversos meios. 2005 UMIC
GT UMTS
8.12
Formação e Ajuda em Linha
Desenvolvimento de várias acções de formação nas áreas de utilização de equipamentos, aplicações, serviços UMTS e construção de páginas web móveis, adaptados aos vários níveis de conhecimento/deficiência. 2005 UMIC
GT UMTS

Índice | pág. anterior | pág. seguinte

Última actualização: Julho 14, 2003.
Programa ACESSO da UMIC - Agência para a Sociedade do Conhecimento, I.P.

Motor de Busca
Motor de Busca

Mapa do Sítio
Mapa do Sítio

Ajuda
Ajuda

Sugestão
Sugestão