Etiqueta: WCAG 2.0

W3C/WAI publica Recomendação com as WCAG 2.1

No passado dia 5 de junho de 2018, o Grupo de Trabalho para as Diretrizes de Acessibilidade publicou a Recomendação W3C para a versão 2.1 das Diretrizes de Acessibilidade para Conteúdo Web (WCAG 2.1).

Todos os requisitos (“critérios de sucesso”) da versão 2.0 estão incluídos na versão 2.1. Os critérios de sucesso da versão 2.0 foram transpostos para a versão 2.1 exatamente com o mesmo texto.

Aos 61 critérios de sucesso da versão 2.0 foram adicionados mais 17, perfazendo um total de 78 requisitos.

Os 17 requisitos adicionais da versão 2.1 destinam-se a resolver situações nas seguintes 3 áreas:

  • acessibilidade móvel
  • pessoas com baixa visão
  • pessoas com incapacidade cognitiva e de aprendizagem

Pode consultar:

Novo RNID, os mesmos requisitos de acessibilidade Web obrigatórios

A PCM publicou um novo Regulamento Nacional de Interoperabilidade Digital (RCM n.º 2/2018, de 5 janeiro). O RNID é o regulamento nacional que, desde a sua primeira versão publicada em 2012, obriga as entidades públicas a usarem, nos seus conteúdos Web, os requisitos de acessibilidade do W3C.

Na versão agora publicada não existe nada de novo em termos de requisitos de acessibilidade, a não ser a referência ao facto de as Diretrizes de Acessibilidade para Conteúdo Web se terem, entretanto, tornado também norma ISO/IEC – elas surgem agora com a referência WCAG 2.0 ou ISO/IEC 40500:2012.

Recorde-se então os níveis de conformidade a observar.

Na Tabela III da RCM n.º 2/2018 pode-se ler:

Requisitos de acessibilidade Web obrigatórios:

  • Nível de acessibilidade para sites Internet que disponibilizam exclusivamente informação e conteúdos: nível ‘A’ das WCAG 2.0 ou ISO/IEC 40500:2012;
  • Nível de acessibilidade para sites Internet que disponibilizam serviços online: nível ‘AA’ das WCAG 2.0 ou ISO/IEC 40500:2012.

Requisitos de acessibilidade Web recomendados:

  • Nível de acessibilidade para sites Internet que disponibilizam exclusivamente informação e conteúdos: nível ‘AA’ ou ‘AAA’ das WCAG 2.0 ou ISO/IEC 40500:2012;
  • Nível de acessibilidade para sites Internet que disponibilizam serviços online: nível ‘AAA’ das WCAG 2.0 ou ISO/IEC 40500:2012.

Quanto às entidades públicas abrangidas, da consulta ao artigo 2.º da Lei n.º 36/2011, de 21 de junho, que estabelece a adoção de normas abertas nos sistemas informáticos do Estado, verifica-se que os requisitos são aplicáveis aos:

  • Órgãos de soberania;
  • Serviços da administração pública central, incluindo institutos públicos e serviços desconcentrados do Estado;
  • Serviços da administração pública regional;
  • Sector empresarial do Estado.

ERC recomenda as WCAG 2.0 aos Operadores de Televisão

Entidade Reguladora para a Comunicação Social

A ERC – Entidade Reguladora para a Comunicação Social aprovou, em finais de 2014, o Plano Plurianual que define um conjunto de obrigações relativas à acessibilidade dos serviços de programas televisivos e dos serviços audiovisuais a pedido por pessoas com necessidades especiais.

Nesta deliberação destacamos a recomendação 11.8 que abaixo se transcreve e que diz respeito à adoção das Web Content Acceessibility Guidelines do W3C pelos operadores de serviços audiovisuais.

Ler mais sobre ERC recomenda as WCAG 2.0 aos Operadores de Televisão

Iniciativa Nacional em Acessibilidade Web – uma visão retrospetiva

Símbolo de Acessibilidade à Web

Portugal foi o primeiro Estado-Membro a adotar formalmente as WCAG 1.0 do W3C em 26 de agosto de 1999 (RCM nº 97/99 de 26 de agosto).

Em termos legais existem 3 momentos a reter na história da acessibilidade Web em Portugal. O primeiro em 1999 com a RCM n.º 97/99 de 26 de outubro, o segundo em 2007 com a RCM n.º 155/2007 de 2 de outubro e o terceiro em 2011 com a Lei n.º 36/2011 de 21 de junho, complementado em 2012 pela publicação do Regulamento Nacional de Interoperabilidade Digital através da RCM n.º 91/2012 de 8 de novembro.

Em 1999 não se fazia referência explícita às WCAG do W3C. Em 2007 faz-se referência explicita às WCAG 1.0 e em 2012, aquando da publicação do RNID, é feita uma referência explícita à obrigatoriedade de se usarem as WCAG 2.0 do W3C.

Ler mais sobre a Iniciativa Nacional em Acessibilidade Web

Acessibilidade Digital não é só Web!

Acessibilidade digital não é só Web! Ir ao encontro das necessidades das pessoas com incapacidades auditivas, visuais, afásicas, cognitivas, neurológicas, físicas, bem como das necessidades da pessoa com requisitos de acessibilidade que derivam dos efeitos do envelhecimento, significa enriquecer os conteúdos digitais de páginas web mas também dos documentos digitais não-web e das aplicações informáticas não-web.

No passado dia 5 de setembro de 2013, o W3C publicou o documento “Guidance on Applying WCAG 2.0 to Non-Web Information and Communications Technologies (WCAG2ICT)“, documento classificado como “W3C Working Group Note”, ou seja sem caráter normativo.

O documento tem por objetivo ajudar a clarificar a aplicação das WCAG 2.0, fora do seu habitat natural ou seja na produção de software e de documentos em contextos fora da web.

Ler mais sobre WCAG2ICT

AP Portuguesa adota as WCAG 2.0

Nota de atualização a 20 de fevereiro de 2018: O presente artigo faz referência à 1ª versão do RNID, publicada em 2012. No início de 2018, o RNID conheceu a 2ª versão – leia o artigo: Novo RNID, os mesmos requisitos de acessibilidade Web obrigatórios.

Através da publicação do Regulamento Nacional de Interoperabilidade Digital (RCM n.º 91/2012 de 8 de novembro) as WCAG 2.0 do W3C passaram a ser explicitamente mencionadas na legislação nacional. O RNID esteve a cargo da AMA, IP e é uma das peças da Lei n.º 36/2011, de 21 de junho, a qual estabelece a adopção de normas abertas nos sistemas informáticos do Estado.

Ler mais sobre a Adoção das WCAG 2.0 pela AP Portuguesa

As WCAG 2.0 são agora também Norma ISO/IEC

O World Wide Web Consortium (W3C) e o Joint Technical Committee JTC 1 da Information Technology of the International Organization for Standardization (ISO) e a International Electrotechnical Commission (IEC), anunciaram hoje a aprovação das Directrizes de Acessibilidade para o Conteúdo da Web (WCAG) 2.0 como Padrão Internacional ISO/IEC (ISO/IEC 40500:2012).

Ler mais sobre WCAG 2.0 Norma ISO/IEC

Documentação técnica das WCAG 2.0 em português

World Wide Web Consortium
Depois das directrizes WCAG 2.0 publicadas em Fevereiro deste ano, a UMIC disponibiliza agora os três documentos de referência para a nova versão das directrizes de acessibilidade produzidas pelo W3C:

Os 3 documentos disponíveis no sítio Web do Programa ACESSO da UMIC sobre a nova versão das directrizes de acessibilidade totalizam mais de 700 páginas, densas de informação. O português torna-se assim o primeiro idioma, para além dos originais em inglês, a difundir esta preciosa informação técnica.