A Governação da Internet foi um dos temas mais controversos da World Summit on the Information Society, evento levado a efeito pela Organização das Nações Unidas que ocorreu em dois momentos: 2003 e 2005. Desde logo se percebeu que a discussão sobre Governação da Internet se teria de articular num palco de diálogo político multistakeholder. Apesar de não ter qualquer tipo de mandato com poderes de decisão, o Internet Governance Forum (IGF) acaba por influenciar a decisão de todos os que têm efetivo poder de decisão. O IGF ajuda a criar uma consciência coletiva relativa a como maximizar as oportunidades da Internet e a como lidar com os riscos e as mudanças que nela ocorrem.

A Assembleia Geral das Nações Unidas criou (resolução 60/252) um mandato para o IGF de 5 anos (2006 – 2010) e em 2010 renovou-o (resolução 65/141) por um período de mais 5 anos (2011-2015). O EuroDIG, criado em 2008, acaba por transpor o plano da discussão global do IGF para a Europa, centrando-a mais num plano pan-europeu.

Para a edição de 2015 do EuroDIG – o Fórum Europeu para a Governação da Internet – a FCT está a organizar dois WorkShops sobre acessibilidade digital e inclusão. Na linha do que fez na edição de 2013 em Lisboa e na edição de 2014 em Berlim, a equipa da Unidade ACESSO do Departamento de Sociedade da Informação da FCT leva agora a Sofia, capital da Bulgária, a reflexão sobre acessibilidade digital e inclusão ao maior fórum Europeu da Governação da Internet: o EuroDIG.

Para o EuroDIG 2015, com o lema “Shaping the Internet together”, estamos a preparar: