Acessibilidade Digital não é só Web!

Acessibilidade digital não é só Web! Ir ao encontro das necessidades das pessoas com incapacidades auditivas, visuais, afásicas, cognitivas, neurológicas, físicas, bem como das necessidades da pessoa com requisitos de acessibilidade que derivam dos efeitos do envelhecimento, significa enriquecer os conteúdos digitais de páginas web mas também dos documentos digitais não-web e das aplicações informáticas não-web.

No passado dia 5 de setembro de 2013, o W3C publicou o documento “Guidance on Applying WCAG 2.0 to Non-Web Information and Communications Technologies (WCAG2ICT)“, documento classificado como “W3C Working Group Note”, ou seja sem caráter normativo.

O documento tem por objetivo ajudar a clarificar a aplicação das WCAG 2.0, fora do seu habitat natural ou seja na produção de software e de documentos em contextos fora da web.

Apesar das WCAG 2.0 terem sido desenhadas para serem tecnologicamente neutras, elas assumem a presença de um “agente de utilizador” tal como um navegador web, um leitor de media, ou de uma tecnologia de apoio como meio de aceder ao conteúdo web.

Por conseguinte, a aplicação das WCAG 2.0 para software e documentos em contextos não-web requer interpretação adicional para determinar de que forma a intenção de cada critério de sucesso se poderá aplicar a diferentes contextos de uso.

O trabalho desenvolvido pelo Grupo de Trabalho, desde 2004, passou por avaliar como é que cada critério de sucesso das WCAG 2.0 se poderá aplicar às TIC num contexto não-web. O Grupo descobriu que a maioria dos critérios de sucesso tem aplicação direta a software e a documentos não-web. Do total de 38 critérios de sucesso de nível A e AA, 26 têm aplicação direta. Dos restantes 12 critérios, 8 precisam apenas de ligeiras modificações e notas adicionais de aplicabilidade. Os restantes 4 critérios fazem uso do conceito de “unidade de conformidade” das WCAG 2.0, ou seja a página web, pelo que em contexto não-web foi necessário desenvolver o conceito de “conjunto de documentos” e de “conjunto de aplicações”.